A presença de roedores nos ambientes traz diversos prejuízos a população local e podem transmitir inúmeras doenças. Entre as patologias transmitidas pelo rato, estão peste bubônica, leptospirose, tifo murino e hantavirose. Sem contar os prejuízos incalculáveis registrados todos os anos como resultado direto da presença e ação dos roedores. Por isso, o combate aos ratos torna-se essencial nas casas, condomínios e empresas através de um controle de pragas. Nesse momento, surgem inúmeros questionamentos sobre desratização – como fazer, sua eficiência, técnicas usadas e frequência estão entre as mais comuns.

As espécies mais comuns são ratazanas (Rattus norvegicus), o rato de telhado (Rattus rattus) e os camundongos (Mus musculus). O primeiro passo é identificar qual dessas espécies invadiu a casa para depois saber de onde estão vindo os roedores. Na desratização, como fazer os ratos serem atraídos por receitas caseiras é bastante difícil. Os roedores são capazes de detectar quantidades mínimas de raticida incorporado às iscas, gerando o seu refugo. O uso das ratoeiras são uma boa opção. Mas fique atento. O cheiro de um único rato morto já afastará os outros do bando.

O processo de desratização deve ser realizado por profissionais especializados e tem como objetivo localizar os possíveis focos de infestação de ratos, além de remover essa praga urbana do local com segurança. As técnicas mais usadas são:

Iscagem Semi parafinadas – consiste na aplicação de raticidas em bloco de alta palatabilidade para os roedores em pontos estratégicos e localizados. Produto de dose única que elimina o roedor por hemorragia interna ressecando-o sem deixar cheiro. Indicado para áreas externas devido a sua resistência às condições climáticas adversas;

Pó de contato – É um produto químico colocado nas vias de acesso por onde os ratos passam dia e
noite. O objetivo é contaminar o pelo do roedor, fazendo-o transmitir o veneno para toda a colônia.

Porta iscas – as iscas devem ser identificadas, mapeadas e acondicionadas em pontos de envenenamento permanente denominado CAIXA PEP. Os portas-iscas são seguros e autorizados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária – ANVISA;

Captura – em ambientes internos com presença de roedores o tratamento é complementado com a instalação de placas adesivas de captura. Seu mecanismo de atração é obtido através de uma essência que está contida na própria cola.

Sinais de roedores

Você deve se fazer a seguinte pergunta após todo o trabalho de desratização: como fazer para que os ratos não retornem?  A limpeza do ambiente e o correto manejo do lixo doméstico são essenciais. Lixo deve ser bem fechado e acondicionado, devendo ser colocado na rua num horário próximo ao da coleta. Os restos de ração não comidos por cães e gatos também funcionam como atrativos para roedores residentes ou não, por isso, é melhor não deixá-los expostos nas vasilhas durante a noite. O combate aos ratos é essencial nas casas, nos condomínios e empresas. Os sinais de infestação são bem visíveis, como a presença de fezes, alimentos muito roídos e até os cachorros de estimação muito agitados à noite, de uma hora para outra, devido à presença dos roedores.

Fonte: “www.ambientalbr.com.br”